segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Hipnose erótica, relaxamento e i-doser ou minhas curiosidades

Abrindo as caixas das minhas coisas que vieram da casa de minha mãe, encontrei uma fita K7 com marcas da remoção da identificação da fita. Tudo isso para ninguém desconfiar do que eu estava aprontando. Juntei com um walkman e as pilhas da máquina fotográfica e fui para o quarto re-lembrar da fita. Fechei as cortinas, desliguei os telefones, pluguei o fone de ouvido, deitei na cama e comecei a ouvir e re-lembrar todos os detalhes da velha fita que ouvi dezenas de vezes.
Há alguns anos eu venho pesquisando sobre hipnose e tentando conjugar esta técnica com BDSM. Descobri que existem diversas HipnoDommes ao redor do mundo, diversas delas vendem áudios pela internet que levam à experiências interessantes e algumas só possíveis através de hipnose.
De pão-duro que sou, nunca gastei um centavo comprando estes áudios, mas consegui alguns exemplares bem cotados no meio.Ouvi alguns uma meia-duzia de vezes, mas nunca tive um êxito no objetivo final ao qual o arquivo se propunha. Cheguei muitas vezes perto, mas a linha é muito tênue e qualquer deslize me fazia cair fora do transe. O fracasso, eu atribuo ao meu cérebro, pois tinha que me concentrar no inglês. No processo de tradução, não conseguia deixar no automático e sempre que isso acontecia, o pensamento derivava e eu não compreendia mais nada do que estava sendo falado.
Até hoje, não encontrei um mísero áudio em português de hipno-dominação. Tenho cadastrado no meu Google alerts, diversas palavras relacionadas, e nunca recebo um alerta verdadeiro. Já li relatos (em português) e contos sobre hipnose, e sei que é possível. Muitos vão discordar e achar que sou doidinho, mas também não como é pregado na mídia, onde o hipnotizado faz tudo e um pouco mais do que o hipnotizador mandar. E sim, é perigoso, tem seus riscos e deve ser feito com cautela e por gente experiente.
Nesta onda de pesquisas (Santo Google!), acabei descobrindo o i-doser, um sistema que diz simular os efeitos de muitas drogas, e situações através dos headphones. Lá fui eu, o todo curioso, downloads, leituras e vamos experimentar. Fiquei com receio depois de ver alguns vídeos no Youtube (Google de novo?), estou ouvindo alguns, mas ainda não tive nada além de bons relaxamentos. Não me atraiu muito, pois você ouve somente ruídos, oscilações de áudio, nada parecido com musica ou com uma voz suave e sexy mandando você relaxar.
O que precisamente me atraí nisso tudo? As possibilidades de estar amarrado, imóvel sem necessariamente estar amarrado, a anulação de sentidos como a audição e o tato, que são difíceis de serem privados 100% e a castidade ou o controle do orgasmo pela dominadora de forma que basta ela dizer "seja um bom garoto" e o orgasmo acontece.
O "exercício de relaxamento" como dizia já nos primeiros instantes da fita K7 trouxe à tona as lembranças de 14 ou 15 anos quando descobri aquela fita K7. "Relaxe! Solte-se e sinta-se em um estado profundo de relaxamento" as palavras foram entrando em minha mente e fui relaxando, me entregando e me submetendo as ordens daquela voz. Ao terminar, cerca de 60 minutos depois, despertei bem relaxado, me sentindo bem e alegre. Hoje, tenho certeza que a forma e técnicas da fita é a mesma das hipnodommes e o exercício de relaxamento é uma boa hipnose, que comigo funciona muito bem. Na época que descobri a fita não sabia o que era submissão, bdsm, femdom, e toda a sopinha de letras gringas que formam esse universo, mas adorava ouvir aquela fita e me deixar ser controlado.
Ainda continuo procurando uma hipno-domme que fale o bom português para me levar a lugares jamais imaginados. Prefiro que seja alguém real, que possa conhecer e ter confiança em me entregar e deixar acontecer e longe do Google, que até agora não conseguiu me hipnotizar.