quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Rede de mentiras

De: Vanessa Simons
Para: Filadélfio Xavier
Caro FX, sinto que és especial
Qual o seu nome ? De onde és ?
Gostei de ti, olhando as pistas
que encontrei sobre você na net

De: Vanessa Simons
Para: Filadélfio Xavier
Caro FX, Eu estou esperando por teu e-mail
checo constantemente e de nada adianta
penso em ti toda noite antes de dormir
Não tenho como voltar a trás, já me envolvi.

De: Vanessa Simons
Para: Filadélfio Xavier
Caro FX, fazem 11 dias
Estou perdida dentro de meus sentimentos
Você está ai? Dê-me um sinal
Está em casa? Você está online?

De: Filadélfio Xavier
Para: Vanessa Simons
Cara Simone, desculpe por esperar
Eu vi suas fotos, parece muito bela
Eu estou sozinho, adoraria encontra-la
Eu acho q nosso encontro é fato !

De: Vanessa Simons
Para: Washington Fox
Caro WF, sinto que és especial
Qual o seu nome ? De onde és ?
Gostei de ti, olhando as pistas
que encontrei sobre você na net

terça-feira, 18 de agosto de 2009

200Km de Tesão


Dias antes da viagem, minha rainha havia já ordenado: Nada de gozar ! Da ultima vez que esta ordem foi me dada, não me segurei, mas desta vez, eu ia me esmerar e tomar mais cuidados para não cair na tentação !

Mas, tentação foi minha própria rainha, que na noite anterior ao nosso encontro, me disse pelo bate-papo coisas que deixaria o mais baunilha ouriçado, agora eu, com minha ultra-sensualidade, fiquei louquinho !

O que ela me disse? Além de tudo que ela iria fazer comigo, das vontades que estava, ainda me disse na possibilidade de ter uma sessão com uma irmãzinha de coleira em breve!

O tempo que passamos longe, os papos, e minha castidade (adoro esta palavra!) fizeram com que eu viajasse da cidadezinha onde estava até minha rainha de pau duro! Foram 200km de tesão. Pensava em tanta perversidade enquanto ultrapassava um carro, ou dava sinal que ia trocar de pista... a adrenalina fluia alegremente pelo corpo.

Que delicia quando eu cheguei! Muito cheiro bom, insensos, óleos corporais, cremes, shampoo... e eu com uma vontade imensa de fazer xixi! Putz, como isso quebra o clima!

Fui adentrando a Garçonière (essa eu roubei do Cosmo) que estava deliciosa! com brinquedinhos espalhados estratégicamente e velas! muitas velas! Já sabia então que parte da cera iria derreter sobre mim... um friozinhu bom passou pelo corpo quando tive esse pensamento.

Um bom rala e rola, beijus, mordidas, mãos bobas, e eu fui parar aos pés da minha rainha... pézinhus cheirosos, tão gostosos, que tive que dar até algumas mordidinhas doloridas pra me satisfazer.

Minha rainha que já estava sentada na cama, só se ajeitou, e desceu a legging, abrindo as pernas... nossa ! depiladinha, parecendo menina moça, que ainda não sabe o que é prazer. Ensaiei pela virilha, brinquei de contar até 3 e atacar, mas não me contive por muito tempo. Delicia! Delicia ! Delicia ! Queria agora sentir ela apertando minha cabeça contra as coxas e tendo espasmos. Adoro quando ela goza e me prende a cabeça no meio das pernas.

E quem disse que eu parei ?!?!!? Aliviei! Fui mais devagarinho, mas não parei. Afinal era tanto tempo longe, e se tinha que fazer, vamos fazer bem feito! Retomei o ritmo com a ajuda dos dedinhos, que penetraram em meio a tanta lubrificação, gozo.. delicia !

Desta fez, foi um orgasmo multiplo que ela teve... ela me confessou depois, pois na hora não percebi, só sei que parei pouco depois dela gozar, aproveitando ainda mais um pouco das forças linguais que me restavam. Fui no banheiro me limpar; tinha meleca até na testa (não sei como!).

Voltei, um gole numa taça de vinho, alguns assuntos colocados em dia, e ela me disse:

- Estas ficando acostumada a ficar de calcinha né ? - Ri maliciosamente, e disse que ainda me incomodava muito e ela retrucou - Mas quero que se acostume mesmo ! Fiquei bobo!
Sim eu havia passado o dia de calcinha, e já estava de calcinha quando cheguei na casa de minha rainha.

Ela levantou, e pegou uns plugs e eu ? já estava de bumbum pra cima esperando pelo carinho. ela me mostrou um pequenininho, e loco começou a inseri-lo... mas não era o pequenino que esta entrando, era o grande! Não sei se por falta de lubrificante, pela posição ou pela minha frescura mesmo, mas doeu pra caralho, ou melhor, pra bunda!

- Tira ! Tira ! Tira ! - eu disse resmungando e gritando de dor, mas minha rainha me calou dizendo: - Se eu tirar, vai ser pior!

Ela mexeu, ajeitou e ficou gostoso... Rainha boazinha... tirou o temido pretinho-basico da cinta e colocou o outro consolo tamanho normal e vestiu-o. Fiquei um pouco decepcionado, mas me senti mais confortável. Mesmo assim, fui guloso e mostrei que aquele já não me fazia mais efeito e minha rainha percebeu. Foi lá e trocou pelo super-mega pretinho-basico.

Esse doeu, mas foi muito bom! Ainda sem gozar, só sentia que escorria fluidos do meu irrealizado amigo.

Foi tanta diversão no meu bumbum que me deram gases ! Droga ! Lá vai eu pro banheiro, por os ventos pra fora, voltei pro quarto e pro banheiro denovo !

Agora que estava desinflado e deitado denovo de costas, foram as costas que sofreram, minha Rainha pegou uma vela e derramou com gosto a cera quente nas minhas costas. Acho q inconcientemente eu tava querendo uma mordaça, porque gritei demais, tava parecendo uma fresca ! Mas foi muito bom, a cera ardeu na medida certa, estava adorando.

Foi então a minha vez de gozar. Achei que minha rainha iria ser cruel comigo, me fazendo gozar com uma massagem na prostata, ou frustando o orgasmo com minimos carinhos, mas ela me deu o prazer de um ótimo orgasmo.

Mais um tempo pra se reconstituir, colocar mais alguns assuntos em dia e eis que a segunda melhor parte - Cordas !

Desde já agradeço ao ACM (leia-se www.bound-brazil.com), que ensinou umas coisinhas pra minha rainha e eu adorei !

Minha rainha me amarrou a uma cadeira, me deixou bem amarradinho, imóvel, e como estava pelado, ela não se aguentou, caiu de boca no meu pipi, mas só me deixou alegrinho. Tirou fotos, riu, e se divertiu com o resultado que ficou muito bom (nota 8 - só pra estimular ela a fazer mais vezes!)

Não pude ver as cordas, o que foi mais gostoso ainda, só sentir, a pressão das cordas na pele, tentar me mexer e não poder, e ainda estando amarrrado, comi moranguinhos com chocolate.

Depois de tanto love, uma dose extra de endorfina ainda nos foi proporcionada pelo amigo de minha rainha que chegou e só falava das desventuras com a vizinha.

Já era tarde, e só me restou pegar minha mochila e voltar pro hotel na tal cidadezinha a 200km ... desta vez, 200km de cara de bobo, sorriso da boca e alguns pums.

Agradeço a minha rainha por estes maravilhosos momentos.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Receita do dia: Escrava

Um submisso pode ter um dia o prazer de estar em uma sessão com sua rainha e uma irmã de coleira, ou seja, outra submissa. Para qualquer homem comum, ter duas mulheres é sua maior fantasia. Para um submisso, ter uma rainha e uma irmã de coleira é a coisa mais maravilhosa que pode acontecer, é a máxima confiança que uma rainha deposita em seu escravo.

Caso tenha o prazer disso acontecer, uma brincadeira bastante interessante é do submisso ser responsável por preparar a cena, tirando da rainha, a responsabilidade de ficar fazendo aquelas tarefas chatas, tais como amarrar, desamarrar, prender, por, tirar. Ficará para a rainha, somente o prazer de observar e criticar o preparo da submissa pelo submisso, e depois de preparado, a rainha terá todo o deleite da situação, aproveitando-se da situação.

Criando uma excelente analogia, o escravo poderá assumir o papel de Chef. E como um Chef de cozinha, deverá preparar para a rainha toda a cena, amarrações e acessórios para que a rainha somente desfrute de seu prato principal: a submissa. Preparar uma escrava requer um bom conhecimento das preferências da rainha, agilidade no preparo e criatividade.

Como o prato (leia-se submissa) não é consumido, ele pode ser servido diversas vezes seguido, mudando somente a apresentação. A apresentação é que dará a forma de como a Domme irá sorver sua delicia, e a qual deverá ser escolhida por ela.

Antes de passar algumas sugestões de preparo/apresentação do prato, um breve ritual deve ser feito, assim como em um restaurante que entramos, escolhemos o menu e colocamos o guardanapo ao colo. O ritual deverá ser uma breve humilhação do Chef, ele deverá saber qual o seu lugar, e saber que não poderá aproveitar-se da submissa, digo, do prato. E deverá usar as vestimentas que sua rainha escolher, mas é importante que ele seja assemelhado ao prato, ou seja, feminizado, para que ele saiba que apesar de estar no preparo, ele está no mesmo nível da escrava.

Assim, segue algumas sugestões de apresentação a qual um escravo poderá preparar para a rainha.

Primeira Sugestão: bondage de escrava.
Bondage é um prato que praticamente todas as rainhas adoram. O prato pode ser sorvido através da disposição das nádegas para uma sessão de spank, das regiões intimas para penetração ou da boca da escrava para prazer oral na rainha.


Para prazer oral: atar os braços as costas e unir os pés à amarração. Deitar a escrava de barriga para baixo. A rainha encaixará suas partes a serem acariciadas oralmente estando levemente sentada na cama, quase deitada. Deverá ser de controle da rainha a forma do toque, podendo ser controlada elevando a cabeça da escrava



Para penetração: atar os pulsos aos tornozelos, deixando independente o lado direito do esquerdo. A escrava poderá ser penetrada tanto de bumbum para cima, quanto em uma posição de frango-atado-assado. Uma opção interessante é a “flor de lotus”, nesta posição, a escrava também fica a disposição da rainha para ser penetrada, sendo mais interessante nesta posição o uso de consolos sem cinta.

Para Spank: a mesma posição para penetração poderá ser utilizada, ou o Chef poderá somente posicionar a escrava apoiada na cama, segurando suas mãos enquanto a rainha proporciona a vermelhidão das áreas castigadas.



Segunda Sugestão: brincadeiras com velas.
A Rainha pode gostar de ver uma escrava se contorcendo e gemendo usando cera quente. A dor potencializa o prazer, e se a rainha quiser ver ainda mais a sua escrava gemendo e se contorcendo, deverá ao mesmo tempo em que infringe a cera, masturbá-la ou penetrá-la.

Neste caso, a primeira coisa a ser feita é vendar a escrava, para que ela não saiba quantas velas, nem o tamanho das velas. Depois de vendada, acenda as velas para que elas já iniciem a produzir cera. Enquanto isso, atar os punhos da escrava e prender na cama, deixando-a com os braços esticados em “T”. Se a rainha assim desejar, poderá dispor de um consolo para que o escravo segure-o com a boca e penetre a escrava usando somente o consolo e sem poder utilizar as mãos enquanto a rainha pinga a cera.

Opcional: Prendedores nos mamilos e lábios vaginais são bastante apreciados.

Terceira Sugestão: Explorando a escrava
A rainha precisa sempre mostrar a escrava (e também ao escravo!) que ela está ali para servi-la. Nada melhor para isso do que explorar os orifícios da escrava. Brincar com eles, e faze-la sentir a dor e o prazer de servir.

Para esta ocasião, quatro pedaços de corda, podem proporcionar uma amarração interessante para a exploração. Amarrar o pulso no braço, mantendo-o flexionado e amarrar o tornozelo às coxas também deixando flexionados, deixando cada membro atado independentemente. A escrava pode ser explorada tanto de barriga para baixo, ficando como um cachorrinho de 4, de barriga para cima ou mesmo ajoelhada. O importante é que muito pouco ela poderá fazer para evitar os carinhos que receberá.

Opcional: Prendedores nos mamilos, unidos por uma cordinha a qual deverá passar pela boca da escrava e ela deverá permanecer com a cordinha puxando os mamilos.


Quarta Sugestão: Estacionando a escrava
Deixar o prato descansar, pode ajudar para o proximo preparo, a rainha pode enquanto isso tomar um banho, jantar ou usar um pouco do Chef. Neste momento, uma amarração de flor de lotus, é bastante interessante. pois é extremamente restritiva e deliciosa, pois torna o prato sucetivel a qualquer ação que a rainha deseje fazer.

Espero assim, ter passado boas sugestões para melhorar ainda mais o que já é muito bom, e também tenha instigado as idéias de muitas rainhas.